O apelo de Mathilde contra a violência online / Mathilde's appeal against online violence

Ontem celebrou-se o Dia da Internet Segura. Sinceramente, só o nome parece um paradoxo.Vivemos numa era em que todos estamos online, mas poucos se sentem seguros, inclusive no mundo virtual, onde é frequente assistirmos a verdadeiras batalhas de opinião, críticas e ofensas que podem causar sérios problemas de saúde mental, relacionados com a auto-estima, exclusão e depressão, nomeadamente nas faixas etárias mais jovens.
Yesterday, it was celebrated Safe Internet Day. Sincerely, only the name seems a paradox. We live in an age where we are all online, but few feel safe, even in the virtual world, where we often witness real battles of opinion, criticism and offenses that can cause serious mental health problems , related to self-esteem, exclusion and depression, especially in the younger age groups.


A Rainha Mathilde da Bélgica divulgou ontem pela primeira vez uma mensagem sobre Ciber-Bullying, num vídeo gravado na sua residência oficial no Castelo de Laken. Neste vídeo, divulgado em francês e holandês, a Rainha belga apelou ao bom senso e respeito na hora de publicar conteúdos online, dirigindo-se aos jovens:
Queen Mathilde of Belgium released a message on Cyber-Bullying for the first time in a video recorded at her official residence in Laken Castle. In this video, released in French and Dutch, the Belgian Queen appealed to common sense and respect when publishing content online, targeting young people:

"As redes sociais são muito agradáveis e muito práticas para comunicar entre amigos ou para expressar a nossa opinião. Mas sabemos bem que não as podemos utilizar de qualquer forma. Se estão prestes a publicar algo online, assegurem-se de que estão a usar o bom-senso e a mostrar respeito para com os demais.  Não permitam que a violência online possa prejudicar a vida de alguém.  Apelo a todos que digam "Não" ao ciber-bullying. Mostrem solidariedade para com todos os jovens que são vítimas da violência online  e que têm a coragem de falar sobre isso. Se alguém publica algo sobre vocês online que vos deixa preocupados, zangados ou tristes, falem! Não guardem para vós esses sentimentos.  Falem com os vossos pais, com os vossos amigos ou com outras pessoas em quem confiem. Existe sempre um meio de encontrar alguém que esteja disposto a escutar-vos e a ajudar-vos. E se sabem que existem outras pessoas que são vitimas de violência online, ofereçam a vossa compreensão. Está nas vossas mãos, juntos, fazermos frente ao ciber-bullying. Não hesitem em dizer ao agressor que a sua atitude é inapropriada. Ao fazê-lo vocês é que estão a ser "cool", porque a violência online não vale nada." 
"Social media are very nice and very practical for communicating with friends or expressing our opinion, but we know that we can not use them anyway. If you are about to post something online, make sure you are using common sense and you are respecting others. Do not allow online violence to harm someone's life. I call on everyone to say "No" to cyberbullying Show solidarity with all young people who are victims of violence online and who have the courage to talk about it. If someone posts something about you online, that make you feel worried, angry or sad, speak up! Do not keep these feelings to yourself. Talk to your parents, to your friends or to other people in whom  you trust. There is always a way to find someone who is willing to listen to you and help you. And if you know that there are other people who are victims of violence online, offer them your understanding. It is in your hands, together, to face cyberbullying. Do not hesitate to tell the offender that their attitude is inappropriate. In doing so you are being "cool", not them. Because online violence is not worth anything. "

Mãe de 4 filhos adolescentes, Mathilde é naturalmente uma mulher preocupada com o tempo que os nossos jovens passam online e com a dificuldade que muitos pais têm em acompanhar devidamente uma geração habituada à rapidez e à facilidade de acesso, e que pode, caso não seja alertada para isso, deixar-se influenciar negativamente pelos milhares de conteúdos, comentários e opiniões que são partilhados diariamente online. Junto do seu patronato, Child Focus, a Rainha Belga tem acompanhado de perto crianças e jovens que sofreram bullying, fazendo-se valer das suas competências em Psicologia.
Mother of four teenage children, Mathilde is naturally a woman concerned about the time our young people spend online and the difficulty many parents have in properly following a generation accustomed to speed and easy access, and who may, if not alerted to this, letting itself be influenced negatively by the thousands of contents, comments and opinions that are shared daily online. Along with her patronage, Child Focus, the Belgian Queen has closely followed children and young people who have been bullied, using her Psychology skills.

"Como sabem, eu sou psicóloga. Era esta a minha profissão. Eu tenho visto crianças carregando as consequências do mau comportamento de outras pessoas. Sempre me preocupei com o bem-estar mental das pessoas- é também esta a essência do meu trabalho como Defensora das Nações Unidas para os Objectivos Globais para um Desenvolvimento Sustentável, assegurar-me que as pessoas tenham acesso a bons cuidados de saúde mental e uma boa educação. É por isso que aqui estou. Eu quero dar voz a estas pessoas. E vou continuar a fazê-lo enquanto este tipo de violência persistir." 
"As you know, I am a psychologist. This was my profession. I have seen children bearing the consequences of other people's misbehavior. I have always cared about people's mental well-being-this is also the essence of my work as an Advocate for the United Nations Global Goals for  a Sustainable Development, to ensure that people have access to good mental health care and a good education, which is why I am here. I want to give these people a voice. And I will continue doing this, as long as this kind of bullying goes on. "
Estar online é óptimo. Usar o mundo virtual para magoar outras pessoas é inaceitável.
Como em grande parte das coisas na vida, tudo passa pela educação. Para saber estar neste mundo virtual, há que saber estar no mundo real. Temos que educar as nossas crianças e jovens para serem as mesmas pessoas atrás e à frente ao ecrã/tablet/smartphone. E temos que ser nós, adultos, a dar o exemplo.
O contacto pode ser virtual. Os sentimentos, não!
Being online is great. Using the virtual world to hurt other people is unacceptable.
As in most things in life, everything goes through education. To know how to be in this virtual world, one must know how to be in the real world. We have to educate our children and young people to be the same people behind and in front of the screen / tablet / smartphone. And we have to be the adults to lead by example.
The contact can be virtual. The feelings, aren't!

Comentários

Mensagens populares