sexta-feira, 17 de agosto de 2012

Miss e Mister Monarquia ?

Todos nós que gostamos destas coisas da Realeza, damos atenção a todos os detalhes quando vemos as nossas cabeças reais favoritas. Olhamos ao penteado, ao vestido e às jóias das meninas e pasmamos com o porte dos meninos nos seus fatos ou uniformes militares.
Adoramos especialmente um bom evento de Tiara, pois é aí que damos sentido ao nome deste blogue e o escrutínio é profundo e nada escapa ao nosso olhar deliciado perante tanta pompa e circunstância que rodeia os mais ínfimos pormenores das indumentárias reais.
O post de hoje vai incidir sobre isso mesmo.
Já se perguntaram alguma vez o que significam aquelas faixas que a realeza ostenta ao redor do seu tronco, geralmente em ocasiões oficiais,  em jeito de Miss ou Mister qualquer coisa?? Eu já. E questionei-me também acerca do significado das diferentes cores e padrões (será que depende da cor da roupa que usam?) além de que dentro da mesma família real, e na mesma ocasião diferentes pessoas usam faixas  diferentes. Afinal de contas qual é o significado destas faixas? Simples adereços, ou algo mais?

O que são? Ora estas faixas fazem parte de uma insígnia que é dada a membros de uma determinada ordem de cavalaria ou mérito. Estas ordens não são exclusivas de países monárquicos e cada ordem tem a sua História e regras. O padrão de cada faixa também é único (mesmo que os rapazes que possam ler isto digam que é tudo igual :) ).
Alguns países tem várias ordens para dar, umas mais importantes que outras. E claro que os monarcas Reinantes possuem sempre a Supra-Suma das suas Ordens Nacionais.
Geralmente a faixa não vem sozinha. É acompanhada de uma insígnia geralmente com uma forma estrelada que é vulgarmente usada no peito ou cintura. Em algumas ordens além da faixa e estrela, é também incluído um colar, que quando usado dispensa o uso da faixa da mesma Ordem.


Insígnias da Ordem Da Jarreteira (Reino Unido)

Insígnias da Ordem do Elefante (Dinamarca)

A Princesa Mary da Dinamarca vai exemplificar como se faz nestes casos. Por exemplo, no inicio de um novo ano na Dinamarca existe sempre o Banquete de Ano Novo, seguido das Recepções de Ano Novo aos Corpos diplomáticos e a vários representantes institucionais. Estas cerimónias são as chamadas New Year's Court. Ocasião de pompa e circunstância para tirar as tiaras e ordens do baú e brilhar. Mary na imagem à esquerda usa as insígnias da mais elevada ordem dinamarquesa que possui - a Ordem do Elefante, sobre a forma do Colar e Estrela. Já na imagem à direita e usando as insígnias da mesma Ordem, usou a faixa e estrela e deixou o colar em casa. O colar é pois usado em ocasiões muito formais.



Quando são usadas? Depende. Depende da Ordem. Do país. Da ocasião. E também do grau de distracção das pessoas. Geralmente os meninos usam as suas ordens quando vestem os seus uniformes militares (e ai entra além do código das Ordens, o próprio código do traje militar que usam) ou em traje de noite formal. As meninas geralmente podem usar as insígnias das suas ordens quando estão de vestido longo e tiara  (geralmente).
Ponto assente é o uso da insígnia nacional mais alta que se possui no caso do evento ser em território nacional, ou no caso de a infeliz pessoa não possuir nenhuma insígnia do país que está a visitar (pode acontecer). Cliquem nas imagens seguintes para ver melhor.



Nestes primeiros três casos nada de novo. Victoria e Daniel da Suécia posam em fotografia oficial usando as insígnias da mais alta condecoração sueca - a Ordem do Sarafim. Victoria foi condecorada quando atingiu os 18 anos, Daniel assim que casou com Victoria e Estelle, a filha de ambos, quando foi baptizada em Maio passado. Victoria usa ainda a "ordem" da sua casa real à lapela com o retrato do pai, o actual monarca sueco. Na segunda fotografia temos Joachim (em traje militar) e Marie da Dinamarca nas Celebrações do 70º aniversário da Rainha da Dinamarca, ambos usando a mais alta condecoração de terras de Margrethe II - a Ordem do Elefante. E não, a faixa não é a mesma da vizinha Suécia. São ambas azuis claras, mas de diferentes tons.
Filipe e Letiza de Espanha são anfitriões de um jantar de gala no Palácio Real (saudades destes tempos...). E gala que é gala pede faixa, tiaras e medalhas ao peito. Ambos usam a Ordem de Carlos III, se bem que em categorias diferentes (sim, dentro da mesma ordem ainda existem posições e denominações diferentes, como Cavaleiro e Dama). Filipe é também membro da Ordem do Tosão de Ouro, mas esta é uma ordem de cavalaria muito especial e não apenas espanhola, apesar de superior à Ordem de Carlos III.


Neste outro conjunto, vemos Haakon e Mette-Marit da Noruega num jantar de gala em Oslo, usando a faixa e estrela da mais alta condecoração norueguesa, a Ordem de S. Olav.  No meio os Grão-Duques do Luxemburgo, usando a Ordem do Leão Dourado da Casa de Nassau. Na terceira figura é que encontramos uma coisa diferente. O Reino Unido é mesmo um país à parte, e a Tia Belinha não dá Ordens de forma generosa  mesmo para quem é da família há anos. Neste caso Edward, filho mais novo da Rainha Elizabeth II, usa as insígnias da Ordem da Jarreteira, a mais antiga e mais alta distinção britânica . Os seus membros são escolhidos a dedo. Alguns monarcas europeus fazem parte desta ordem, como o Rei Albert da Bélgica, ou o Rei Harald da Noruega, mas nem todos os membros da Família Real Inglesa têm esse privilégio. Edward foi distinguido em 2006, já com 42 anos. A sua esposa Sophie, pode gabar-se de até ter alguns distinções, comparativamente a outras noras da Rainha. A mais elevada que possui é a Real Ordem Vitoriana, que usa na fotografia, mas que ostenta orgulhosamente desde 2010 (11 anos depois de casar com Edward!)...

Nestes dois conjuntos de fotografias as damas estão de vestido longo e tiara.
No entanto as insígnias também podem ser usadas durante o dia em situações formais, com faixa e estrela, ou apenas uma delas, sem tiara e com chapéu como costumamos ver as damas da Família Real Holandesa no Prinsjesdag na Holanda. Sim, tentar perceber este código pode ser muuuito confuso.


Neste caso temos a Princesa Máxima da Holanda (à esquerda) usando a faixa da ordem da Grande Cruz do Leão da Holanda (poderá estar a usar a estrela da mesma insígnia mas o vestido não deixa ver), e a Princesa Laurentien da Holanda (à direita)  usando a faixa e estrela da Ordem da Casa de Orange, uma ordem inferior à primeira. Ambas as fotografias foram tiradas no Prinsjesdag  em 2011.

Como se usam? Bem, uma faixa mal colocada pode dar azo a muitos comentários maldosos em sites da especialidade (cof...cof...) além de ficar mal na aparência, certo?
No caso de algumas faixas serem semelhantes (atenção SEMELHANTES, não iguais), como é o caso da Ordem do Elefante na Dinamarca e a Ordem do Sarafim na Suécia, a diferença reside na forma como a faixa é colocada.

No caso da Rainha Sílvia da Suécia (à esquerda), a faixa é colocada do ombro direito para a anca esquerda, no caso da Rainha Margrethe II da Dinamarca (à direita) a faixa vai do ombro esquerdo para a anca direita. Subtil, certo?
E como é que a faixa não cai? Pois é, truques meus amigos, truques. A faixa tem de estar bem colocada de facto para evitar acidentes. Algumas meninas são de facto muito originais e usam e abusam dos broches, mesmo em locais em que normalmente não costumamos vê-los, ou seja nas costas. Vale tudo na hora se segurar a faixa, mantendo a régia elegância. Chamo particular atenção para o broche em forma de "F" que a princesa Mary usa na primeira fotografia a contar da esquerda (suspiro....) e a parte de trás do vestido da princesa Victoria da Suécia na terceira fotografia (wow!!).


No entanto existem Princesas mais práticas, que não necessitam de nenhum broche a valer fortunas para segurar a bela da faixa e por isso, não são de meias medidas e preferem algo mais simples. Talvez o alfinete seja de ouro branco...Quem sabe? 

Princesa Letizia de Espanha


Que Ordem usar? Aqui é que começa a complicação. Como já disse anteriormente o truque está em usar em território nacional a mais alta insígnia nacional que se tiver, isto em ocasiões em que não hajam outros países envolvidos
Mas e se a pessoa tiver mais que uma insígnia nacional, que é muitas vezes o caso, principalmente no que toca a Monarcas e Príncipes Herdeiros????
Pois, pode usar representações de todas as Ordens que possuir com certas regras. O Príncipe Carlos do Reino Unido é um óptimo exemplo. No dia do casamento do seu filho William, o Príncipe de Gales usou e abusou de símbolos das Ordens de que faz parte.

Sendo a Ordem da Jarreteira a mais importante, o Príncipe usa a faixa dessa Ordem e a Estrela correspondente é colocada em local superior em relação à Estrela da Ordem do Cardo, segunda Ordem mais importante que possui.
Ufff...

Ainda estão comigo??
Sim?
E que tal se complicarmos as coisas? Até agora falei das Ordens Nacionais e do seu uso em Território Nacional. Então e se os Reis e Rainhas, Príncipes e Princesas tiverem Ordens de vários países? E horror dos horrores, quando se juntam todos? Que ordens usar num Caos colorido de diferentes  faixas e estrelas?

Visita da Rainha Beatrix da Holanda à Noruega

Calma, quem pensou nestas coisas, pensou bem e claro está estabeleceu regras. E como não poderia deixar de ser estas Regras deixam antever quem é mais popular e mais generoso na hora de atribuir Ordens a membros da Realeza. Eu adoro isto!!

Como receber Ordens Internacionais? Geralmente estas ofertas têm lugar durante visitas oficiais de uma família real a outra família real. A ordem atribuída depende do Monarca que a atribuí e claro, do titulo da pessoa a quem a distinção for feita. Um Príncipe de um determinado país, por exemplo terá sempre uma Ordem igual ou inferior comparativamente ao Soberano desse mesmo país.

Uma vez realizadas viagens oficiais a vários países, bem podem os Príncipes arranjar uma divisão do seu closet exclusivamente para faixas. A Princesa Herdeira da Suécia que o diga, pois tem vindo, desde muito cedo, a realizar visitas oficiais em representação da Coroa Sueca. Cliquem na imagem para ver melhor. Se um membro da realeza não visitar um país, dificilmente ser-lhe-á atribuído uma Ordem.


Que Ordem usar durante uma Visita de Estado? Geralmente quando uma família real recebe ou visita um pais, como forma de honrar essa visita, os seus membros irão usar as mais altas ordens que possuirem do país em questão. Por exemplo e voltando à imagem da visita da rainha Beatrix da Holanda à Noruega, tanto o Rei Harald como a Rainha Sonja estão a usar a faixa da mais alta distinção holandesa Ordem da Grande Cruz do Leão da Holanda, já a Rainha Beatix honra os seus anfitreões ao usar a Faixa da Ordem Norueguesa de S. Olav. Os Príncipes Herdeiros Haakon e Matte-Marit estão a usar uma Ordem holandesa imediatamente a seguir em importância - a Ordem Orange-Nassau, enquanto que as Princesas Martha-Louise e Astrid da Noruega ostentam a Ordem da Casa de Orange.
Ou seja, em visitas oficiais a um determinado país, desde que não seja um acontecimento especifico desse país (como um casamento real por exemplo), os membros visitantes usam as faixas que tiverem do país que visitam e vice-versa. Caso não possuam faixa desse país, usam a sua mais alta distinção nacional.
No caso de um casamento real, a regra do uso de faixas do país anfitrião aplica-se apenas aos convidados. Os membros da Família real que são anfitriões do casamento honram-se a eles próprios usando as suas mais altas condecorações nacionais. 

Vamos dar o exemplo do Casamento da Princesa Vitória da Suécia em 2010, por ter sido o último em que tanto meninas como meninos usaram insígnias de ordens.

Primeira fila da esquerda para a direita: Rainha Margreth II e Principe Henrik da Dinamarca, Henri e Maria-Teresa, Grão-Duques do Luxemburgo, Rainha Sofia de Espanha com a Rainha Beatrix da Holanda e Reis Abdullah II e Rania da Jordânia.
Fila de baixo da esquerda para a direita: Reis Albert II e Paola da Bélgica, Reis Hararld V e Sonja da Noruega, Príncipe Albert II do Mónaco com a noiva Charlene Wittstock, Rainha Sílvia da Suécia com a Princesa Madeleine da Suécia.

Quando se tratam de soberanos e respectivos consortes, estes são geralmente presenteados com as mais altas distinções de vários países. Na primeira fila podemos concluir à primeira vista que todos estão a usar a mais alta condecoração Sueca - a Ordem do Sarafim - como dever ser, visto o casamento ter sido na Suécia. Todos menos o Grão-Duque Henri do Luxemburgo que não está a usar faixa. Grande falha....Será?? Realmente Henri não está a usar faixa, mas está a usar o Colar da Ordem do Sarafim e como tal, dispensa o uso da faixa. :). Rania da Jordânia é que parece ter-se esquecido de algo. Está a usar a faixa da insígnia sueca, mas parece ter deixado a Estrela em casa. Apenas está a usar a insígnia do país do qual é monarca (sim aquele alfinete minúsculo na cintura). Na fila de baixo alguns casos diferentes: Albert II da Bélgica também optou pelo Colar e Estrela da Ordem do Sarafim, tendo deixado a faixa na Bélgica. Harald V da Noruega conjugou tudo na perfeição: Usou o Colar da Ordem do Sarafim com a respectiva Estrela em destaque, e também usou a Ordem de S. Olav do seu pais, representada pela faixa vermelha e pela Estrela em segundo plano. Muito bem!! O Príncipe Albert  II do Mónaco não possui qualquer distinção sueca para usar (talvez tenha que visitar a Suécia mais vezes) e apesar de soberano nem usou a mais alta distinção do seu próprio país, a Ordem de S. Charles. Estranho. A rainha Sílvia da Suécia e a Princesa Madeleine, usaram as insígnias da Ordem de Sarafim.

Da esquerda para a direita: Príncipe Phillipe e Princesa Mathilde da Bélgica, Príncipe Haakon e Princesa Matte-Marit da Noruega, Príncipe Willem-Alexander e Princesa Máxima da Holanda e Príncipe Frederick e Princesa Mary da Dinamarca.

No que toca a alguns herdeiros europeus, todos eles usaram Ordens Suecas, como era suposto. Os Herdeiros por direito, ou seja os meninos nesta figura, apresentam a mais alta distinção sueca da Ordem do Sarafim. Ás suas esposas e consortes foi atribuída a segunda condecoração mais importante da Suécia - a Ordem da Estrela Polar. Daí a diferença na cor das faixas. Provavelmente apenas um dia quando estas Princesas se tornaram Rainhas é que lhes será atribuída a distinção máxima sueca.

Primeira fila: Príncipe Constantijn Princesa Laurentien da Holanda (esquerda) e Príncipe Friso e Princesa Mabel da Holanda (direita)
Fila de baixo: Edward e Sophie, Condes de Wessex (esquerda) e Príncipe Filipe e Princesa Letizia de Espanha (direita)

Depois existem os casos estranhos. Bem, talvez não sejam estranhos, são apenas diferentes.
Na primeira fila vemos dois dos três filhos da Rainha Beatrix da Holanda, com as respectivas esposas. Á esquerda temos o Príncipe Constantijn com a Princesa Laurentien. Constantijn está a usar a mais alta Ordem holandesa que possui - Ordem da Grande Cruz do Leão da Holanda- , visto não ter nenhuma ordem Sueca e a sua esposa ostenta uma ordem holandesa menor - Ordem da Casa de Orange- pelo mesmo motivo. Os Príncipes Friso e Mabel da Holanda apresentam-se à direita, também eles não tendo nenhum Ordem Sueca, ostentam, neste caso apenas Friso, a Ordem da Grande Cruz do Leão da Holanda.
Na fila de baixo temos os Condes de Wessex, dos quais já falei anteriormente e que ostentam as suas maiores insígnias, na ausência de uma insígnia de uma Ordem Sueca. Finalmente Felipe e Letizia de Espanha. Filipe como herdeiro possui as insígnias da Ordem do Sarafim, já Letizia não possui nenhuma Ordem Sueca e usa, por isso, a faixa e estrela da Ordem de Charles III. O motivo? Talvez o mesmo de Albert II do Mónaco: poucas visitas a casa de Carl Gustavo e Sílvia da Suécia!

E pronto, penso que é isto. Ficaram um pouco mais cultos e sabedores? Espero que sim. Eu fiquei!!
Agora as leitoras do sexo feminino podem perguntar-se: " Pois isso é tudo muito bonito mas temos que ter muita atenção para combinar a cor do vestido com a faixa que vamos usar."
Boa questão. Pode realmente ser um desafio, principalmente quando já se tem um determinado vestido planeado para levar, imaginemos verde, e recebemos de surpresa uma faixa vermelha para usar nessa noite. Pode ser chato. 
Talvez por isso a nossa querida Lilibeth, que já anda nestas coisas há muitos anos, tenha optado por uma simples solução. Não que ela esteja à espera de receber uma faixa de surpresa aos 86 anos de idade, 60 dos quais como Rainha, mas simplesmente porque é mais prático assim:

Da esquerda para a direita faixas de Jordânia, França, Noruega, Tailândia, África do Sul, Reino Unido, Polónia e Dinamarca (pode parecer cinzenta, mas é azul clara)


Bom fim de semana!!!
;)

---***----
Agradecimentos: Um muito especial agradecimento ao The Royal Order of Sartorial Splendor, pela inspiração e algumas imagens na construção deste post.

2 comentários:

  1. Respostas
    1. Muito obrigada! Aprendi imenso também enquanto pesquisava para isto! :)

      Eliminar