O novo documentário sobre Diana, Princesa de Gales / The new documentary on Diana, Princess of Wales

Pensei muito se deveria fazer este post ou não, mas penso que muitos de vós serão certamente fãs da falecida Princesa de Gales e como tal merecem ter acesso ao mais recente documentário sobre Diana. Um documentário que mostra pela primeira vez a Princesa do Povo pela voz das duas pessoas que Diana mais amou e que talvez melhor a conheciam: os seus dois filhos.
I thought a lot if I should do this post or not, but I think many of you will surely be fans of the late Princess of Wales and as such deserve access to the latest documentary on Diana. A documentary that shows for the first time the People's Princess by the voice of the two people Diana loved most and who perhaps knew her best: her two children.


O novo documentário foi para o ar na passada Segunda-feira na ITV, no ano em que passam 20 anos sobre a sua morte. Segundo o seu filho mais velho William: " O 20º aniversário parece ser uma boa altura para relembrar todas as coisas boas sobre ela e, talvez, proporcionar uma visão diferente sobre ela nunca antes vista".
De facto "Diana, Our Mother: Her Life and Legacy", apresenta-nos uma visão mais próxima, intimista e emocional daquela que foi para muitos a figura da realeza mais emblemática do último século!
The new documentary aired last Monday on ITV, as it passes this year 20 years on her death. According to his eldest son William, "Her 20th anniversary year seems like a good time to remember all the good things about her and hopefully provide maybe a different side that others haven’t seen before."
In fact, "Diana, Our Mother: Her Life and Legacy" presents us with a closer, intimate and emotional view of whom was, for many, the most iconic royalty of the last century!


Entendo a escolha de William e Harry em manter a presença da sua mãe viva, tanto no trabalho que ambos desenvolvem, como nas suas vidas pessoais.William e Harry viveram o drama de um divórcio e da morte trágica de um dos pais, mas ou contrário de muitas outras pessoas que poderão ter passado pelo mesmo, estes dois viveram tudo isso de uma forma exposta e pública, porque, embora Diana lhes tenha ensinado os prazeres da "normalidade", a verdade é que a vida de ambos foi, é e sempre será muito diferente do comum cidadão.
I understand William and Harry's choice to keep their mother's presence alive, both in their work and in their personal lives. William and Harry lived the drama of a divorce and the tragic death of one parent, but otherwise many other people who may also have passed through it, these two lived all this in an open and public way, because although Diana taught them the pleasures of "normality", the truth is that their lives were, are and always will be very different from the ordinary citizen.


Eu também cresci com a Diana na ribalta. Também eu, com 13 anos, fiquei presa à televisão em choque, durante uma semana. Também eu chorei cada vez que o "Candle in the Wind" passava na rádio. Mas mais do que a morte de Diana em si, foi tudo o que aconteceu durante essa semana que me emocionou. O sentimento de consternação e o luto de um povo, a emoção global, e a consciência de que uma pessoa, e aquilo que ela representa,  pode, de facto, mover multidões.
I also grew up with Diana in the limelight. I, also, at the age of thirteen, got stuck in front of the television for a week. I also cried every time "Candle in the Wind" ran on the radio. But more than Diana's death itself, it was all that happened during that week that stroke me. The sense of consternation and grief of an entire people, the global emotion, and the awareness that a person, and what she represents, can indeed move crowds.


Eu, provavelmente, não admiro tanto a falecida Princesa de Gales, como a grande parte das pessoas que poderão estar a ler este post. Eu tinha 13 anos na altura e embora lesse várias noticiais sobre a monarquia, as coisas não eram como são hoje em dia, e a informação que chegava ao meu país era muito sensacionalista e limitada. Mas não nego que indiscutivelmente Diana fez um trabalho notável nas áreas sociais, emprestando a sua voz e presença a causas até então pouco divulgadas. A nível da sua vida pessoal, tenho uma visão muito fria do assunto e acredito que muitos erros foram cometidos e que as únicas vítimas neste assunto foram os dois filhos. Faço parte de um grupo muito limitado de pessoas que tanto admira e reconhece o mérito do trabalho feito pela Princesa Diana como também acha que o Príncipe de Gales e a Duquesa da Cornualha cumprem os seus papéis e deveres na perfeição. Eu gosto realmente deles. E não acho que estas duas admirações sejam incompatíveis, na minha maneira de ver as coisas.
I, probably, do not admire as much the late Princess of Wales as most people who might be reading this post. I was 13 at the time and although I read several news reports on the monarchy, things were not as they are today, and the information that came to my country was very sensational and limited. But I do not deny that arguably Diana did a remarkable job in the social areas, lending her voice and presence to causes little publicized then. Regarding her personal life, I have a very cold view on the subject and I believe that many mistakes were made and that the only victims on this subject were the two children. I am part of a very limited group of people who both admire and acknowledge the merit of the work done by Princess Diana but also thinks that the Prince of Wales and the Duchess of Cornwall fulfill their roles and duties perfectly. I really like them. And I do not think these two admirations are incompatible the way I see things.


Mas não posso deixar de expressar que todas estas coisas que estão a acontecer, de forma oficial, por ocasião do 20º aniversário da morte da Princesa Diana, me parecem exageradas, ou pelo menos desnecessárias. Uma geração inteira nasceu e cresceu sem Diana, e penso que nada do que se faça ou diga agora acrescenta nada de verdadeiramente significativo ao seu legado e à opinião e/conhecimento que as pessoas têm sobre a sua vida e morte. Obviamente que os seus filhos querem manter a sua presença viva, mas penso que a melhor maneira que têm para o fazer não é através de documentários, ou de revelações intimas, quando notoriamente (e principalmente Harry!) ainda não ultrapassaram completamente a sua perda. E talvez nunca irão ultrapassar....porque é difícil! 
But I can not help expressing that all these things that are officially happening on the occasion of the 20th anniversary of Princess Diana's death seem to me to be exaggerated, or at least unnecessary. An entire generation was born and raised without Diana, and I think that nothing that is done or said now adds anything truly meaningful to her legacy and the opinion and / or knowledge people have about her life and death. Obviously her sons want to keep her presence alive, but I think the best way they can do it is not through documentaries, or intimate revelations, when they, notoriously (and especially Harry!) have not yet completely overcome their loss. And maybe they will never do ... because it's very difficult!


O contínuo "fantasma Diana" teima a pairar perante a família real britânica, num misto de perpétuo sofrimento e quase exaustão e teimosia em manter a sua memória viva ao longo dos tempos. Diana, enquanto mãe e enquanto Princesa, nunca será esquecida. Disso eu tenho a certeza! Mas a melhor maneira que William e Harry têm de "deixar a sua mãe orgulhosa" é serem aquilo que ela foi para muitos: uma inspiração, uma luz, um voz! Para isso não têm necessariamente de defender as mesmas causas do que ela, elevá-la ao pedestal de super-mulher ou fazer documentários sobre a sua vida. Têm que ser felizes sendo eles mesmos! Foi isso que Diana, na minha opinião, tentou fazer a vida inteira, e nunca conseguiu!
The continuous " Diana's ghots" keeps hovering above the British royal family in a mixture of perpetual suffering and almost exhaustion and stubbornness in making her memory alive through the ages. Diana, as mother and as a Princess, will never be forgotten. Of that I am sure! But the best way William and Harry have to "leave their mother proud" is to be what she was to many: an inspiration, a light, a voice! For this they do not necessarily have to defend the same causes as her, elevate her to the superwoman's pedestal or make documentaries about her life. They have to be happy being theirselfs! This is what Diana, in my opinion, tried to do for a lifetime, and never succeeded!


De qualquer forma este documentário revela algo novo e positivo do meu ponto de vista: William e Harry falam sobre um assunto que claramente ainda não está bem resolvido nas suas mentes e coração. Enquanto figuras públicas que são, eles expressam os seus sentimentos de forma nunca antes vista. Como defensores da necessidade de se falar e combater o estigma que rodeia a Saúde Mental, fazer parte deste documentário e falar publicamente sobre um tema que lhes é doloroso, talvez tenha sido uma verdadeira terapia para os dois irmãos e, só por isso, eles têm o meu reconhecimento.
Anyway this documentary reveals something new and positive from my point of view: William and Harry talk about a subject that clearly is still not well resolved in their minds and hearts. As public figures they are, they express their feelings in ways never before seen. As advocates of the need to speak out and combat the stigma surrounding Mental Health, to be part of this documentary and to speak publicly about a painful issue, it may have been a real therapy for both brothers, and for that alone they have my recognition.


Mas já é tempo de deixar Diana descansar em Paz.
But I think it's about time to rest Diana in peace.

Comentários

  1. Olá
    Gosto muito de seus textos mas acho uma pena não reconhecer o legado da Princesa Diana e o que ela representa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Sílvia. Muito obrigada pelo seu comentário. Talvez não me tenha explicado bem. Eu reconheço o papel que Diana teve e continuará a ter. O seu legado foi enorme e a Princesa foi pioneira numa série de iniciativas, não a admiro tanto como certas pessoas, porque ela morreu quando eu tinha 13 anos, numa altura em que não investigava estas coisas a fundo, nem tinha como.... Apenas acho que 20 anos depois nada do que se diga ou faça irá aumentar isso. E cada vez que sai um novo documentário, saem 1001 artigos com "novas revelações", novas lavagens de roupa suja, sobre uma pessoa que já não está entre nós e não se pode defender. Entendo e respeito a decisão dos filhos, embora pense, na minha modesta opinião, que o documentário foi desnecessário. Acredito que para muitas pessoas, talvez mais velhas do que eu, Diana signifique muito. Pessoalmente, há pessoas que admiro mais, mas reconheço sem dúvida tudo aquilo que ela representou e continuará a representar, com ou sem documentários. Mas há espaço para todas as opiniões aqui, cara Sílvia. Um beijinho

      Eliminar
  2. Querida Lurdes!!
    Comecei a me interessar pela realeza a partir de Diana!!
    O seu casamento foi o conto de fadas que embalou a minha
    juventude!! Muito romântica, eu também queria um príncipe
    em minha vida!! Estagnei diante da televisão acompanhando
    aquele dia mágico do casamento!!
    Com o passar dos anos, a partir das notícias que surgiam a
    respeito da infidelidade do príncipe, passei a detestá-lo, enquanto
    que a admiração pela princesa só aumentava. Na minha humilde
    opinião, ela tentou cumprir com o que se comprometeu naquele
    dia em que se tornou princesa enquanto ele não foi o príncipe que
    deveria ter sido.
    Ainda hoje, depois de tantos anos, não consigo simpatizar com ele
    e entendo que o legado dela sempre será maior que o dele, mesmo
    que venha a se tornar Rei. Diana era , a meu ver, autentica, verdadeira,
    tinha uma sensibilidade única e um carisma genuíno. Em uma época
    em que a realeza não tinha tanta visibilidade como hoje, a princesa
    envolveu-se em tantas causas e projetos humanitários e usou a sua
    voz para dizer ao mundo o tanto que príncipes e princesas, reis e
    rainhas, deveriam promover o bem comum, deveriam se envolver
    para diminuir as diferenças entre os povos e buscar um mundo
    melhor, mais justo e solidário ao invés de apenas viverem suas vidas
    coloridas e "perfeitas".
    Quanto ao documentário, penso que a homenagem tem origem no
    amor incompleto, nos dias não vividos e na saudade de dois filhos,
    não os príncipes William e Harry, mas dois filhos que não puderam
    viver a plenitude da relação de mãe e filho por completo e que querem
    dessa forma perpetuar o tempo que tiveram com ela. Por que, para eles,
    antes de ser a Princesa de Gales, ela era, simplesmente, a Diana, a mãe
    deles.
    Um abraço carinhoso para você!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Querida Rosimeri..Obrigada pelo seu comentário. Entendo perfeitamente cada uma das suas palavras e concordo com a grande maioria. Penso que o final do seu comentário traduz na perfeição a necessidade que William e Harry tiveram de homenagear a sua mãe.
      Um beijinho

      Eliminar
    2. Thank you for your thoughtful posting Lourdes! I agree with you entirely, about Diana, and about the Prince of Wales and the Duchess of Cornwall, who are doing an excellent job.

      Eliminar
    3. Thanks so much on your comment Barbara. I know it's a delicate issue for many.

      Eliminar
  3. I agree with your thoughts 100% (even though I was merely more than a toddler back then) but I can totally related to your post. As you know, I grew up with her myth around me and she was almost I was described as a goddess because - also here in Italy - the news were more than limited, they were over sensational. As I grew older I got to understand the 'true story' and, with the help of a 12-year-old documentary in dvd - her myth has dissolved a bit, she became a human being, as us all, with her privileges and defects. I understand her children wanting to commemorate their mother on such occasion, but yeah, it was unnecessary (I mean, the dvd I mentioned before has more informations that this documentary, thb). They should keep her memory alive, but also to let her go a bit otherwise, as you said, her ghost will always be around - rather than her soul.
    I was part of the group 'hate C & C', but over the years I started to appreciate them (you'll be surprised but I appreciate her more than him :P ) but, as Felipe says "you have to know something, in order to like it".
    Anyway, I wrote a poem lol
    Have a nice summer, Lurdes

    Alessandra.

    Btw, love the new look!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hi Alessandra. Thanks on your comment and kind words. In fact people make their our opinions according their knowledge on a subject (or so it should be...). I understand the people who love, admire and worship Diana, and I also understand the ones they don't, but who at the same time recognize her social and charity work, and (why not?) global and timeless importance. She was part of an Age. And sure it was, and still is, a reference for many. And we should allways recognize the ones who did Good. But, I don't see her as a role model to me, or a Saint or a victim (on her marriage and love life). For each new documentary that comes out , 1001 new (or less new) facts and opinions, controversies and memories come out of the past valut that add nothing new to the present, much less to anyone's future. This is what irritates me when one speaks (again) of Diana.
      A constant washing of dirty clothes that has nothing to do with her legacy, in my opinion. As a reader here said this initiative of William and Harry was taken due a feeling of incomplete heart and a need to speak well of their mother. I understand and respect that. Also because I also believe that the relationship of these two with their father and the stepmother is not very close, and certainly there is still much hurt associated. They still need to work this issue very well.
      Have a nice vacation too!

      Eliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares