segunda-feira, 16 de julho de 2012

Вспоминая Романовых (Recordar os Romanov)


Como já publiquei em post anterior grande parte do meu gosto pelo mundo da realeza nasceu à sombra de grandes tragédias.
A mais marcante é sem dúvida é que se assinala da madrugada de 16 para 17 de Julho.
Noventa e quatro anos separam os dias de hoje, do que aconteceu naquela noite escura, infame, vergonhosa e injusta na distante Yekaterinburg da Rússia Comunista no ano de 1918.
O antigo Czar Nicolau II, Senhor do maior Império do mundo, a sua mulher a fervorosa e controversa Alexandra, os seus cinco filhos, Olga Maria, Tatiana, Anastásia e Alexei, o médico da família, uma criada e dois serventes foram secreta e brutalmente assassinados à sombra do regime bolchevique que temia um retorno da monarquia e que decidiu, sobre o comando de Yurovsky (chefe do esquadrão de execução) acabar com qualquer hipótese de libertação da última família imperial russa, reclusa na Casa Ipatiev na localidade de Yekaterinburg, desde a abdicação.
Nunca encontrei palavras para tamanha brutalidade...

Muito se especulou, muitos mistérios foram alimentados ao longo dos anos de regime comunista.

Muito se esperou depois dos restos mortais terem sido encontrados para uma identificação definitiva dos corpos.

Muito tempo se levou a decidir para onde deveriam ser conduzidas as exéquias, depois da queda do regime.

Muitos se atormentaram durante anos após conhecimento dos relatos do pelotão de fuzilamento quando os diários foram tornados públicos.


Assassinados às escondidas, considerados uma ameaça ao Regime e aos ideais “libertadores” de Lenine, em 2000, a família foi canonizada como Portadores da Paz pela Igreja Ortodoxa Russa. A família já tinha sido anteriormente canonizada em 1981 pela Igreja Ortodoxa Russa no estrangeiro como Santos Mártires. Os corpos do czar Nicolau II, da czarina Alexandra e de três filhas foram finalmente enterrados na Catedral de São Pedro e Paulo em São Petersburgo em 17 de Julho de 1998, oitenta anos após seu assassinato. 
Em 2007 foram encontrados e identificados os corpos em falta na vala comum descoberta dos anos 80 (Alexei e Maria).

A Rússia mudou. O povo não esquece. Os vivos relembram. Os mortos perduram...


Aqui ficam uns vídeos sobre esta temática. Os  primeiros dois são uma dramatização dos acontecimentos ocorridos na madrugada de 17 de Julho de 1918.



Os três vídeos que se seguem dizem respeito à Cobertura televisiva das Cerimónias Fúnebres que tiveram lugar a 17 de Julho de 1998 na Fortaleza de Pedro e Paulo, em São Petersburgo.







"Russia is a riddle, wrapped in a mystery, inside an enigma; but perhaps there is a key. That key is Russian national interest."
           Winston Churchill





Sem comentários:

Enviar um comentário