Um bom dia para casar :)

Se querem escolher uma data simbólica para casar, de modo a partilhar esse dia com algum casal real favorito, escolham o dia 19 de Junho, e têm grandes probabilidades de acertarem (Eu pessoalmente sou egoísta...)

Ora bem, comecemos há 36 anos atrás...
19 de Junho de 1976

O Rei Carl Gustaf e Silvia Sommerlath anunciaram o seu noivado a 12 de Março de 1976 e casaram três meses depois a 19 de Junho na Catedral de Estocolmo. Seria  a primeira vez que uma plebeia casava com um membro da Família Real Sueca.
O vestido de noiva foi assinado pela Casa Dior. Feito em seda e com uma longa cauda, era muito simples e recatado por assim dizer. Sílvia usou a Tiara dos Camafeus, que é por norma a Tiara dos Casamentos na Suécia. Esta tiara pertenceu inicialmente à Imperatriz Josephine de França, tendo sido um presente de Napoleão Bonaparte. O longo e delicado véu em renda, foi usado pela primeira vez em 1932 pela Rainha Sofia e também esta peça se revelaria um dejá vu 34 anos depois.



Há 13 anos atrás: 
19 de Junho de 1999


O filho mais novo da Rainha Isabel II de Inglaterra casa na Capela de St. George no Castelo de Windsor com a namorada de longa data Sophie Rhys-Jones. O casamento super discreto, a começar pelo local (pouco usual para filhos da soberana casarem). Não houve beijo, nem aparição ao balcão real. O vestido de Sophie foi desenhado pela estilista Samantha Shaw, feito em dois tipos de seda com tule. O efeito final resultou em duas peças, a mais vista das quais, o casaco em decote em V continha cerca de 325.000 pérolas e cristais e terminava numa cauda . O vestido usado por baixo nunca foi visto. Sophie usou uma tiara empresta pela Rainha a prender o seu longo véu. Os brincos e colar de pérolas brancas e negras que usou foram desenhados pelo próprio Príncipe Eduardo.
Todo o conjunto parece ter sido inspirado na história da própria Capela de St. George, e na Ordem da Jarreteira (as damas de honor e pajens usaram vestes que faziam lembrar os mantos dos membros da Ordem de Cavalaria mais antiga e nobre do Reino Unido). Muito medieval. Pouco arrebatador.








E há 2 anos atrás....
19 de Junho de 2010

A princesa Herdeira da Suécia, Victória, encerra com chave de ouro um capitulo que apaixonou meio mundo. 
No dia do 34º aniversário de casamento dos seus pais, Victória casa com o plebeu e namorado de há muito tempo,  Daniel Westling e torna-se a minha noiva real favorita de sempre. Não que tenha o vestido ou a tiara mais bonitas do Universo, mas o conjunto aliado à sua felicidade que ofuscava até um cego, arrebatou todos os prémios. E vá, também gostei muito do vestido...e do véu...e do bouquet...e da pulseira...Sim, adorei tudo!!
Desenhado por Pär Engsheden, um estilista sueco, o vestido de noiva tinha tudo o que é preciso para uma Princesa brilhar por si: simplicidade e elegância. Feito em cetim-duquesa, tinha um decote à barco, que se prolongava num delicioso decote em V nas costas (suspiro), onde o vestido foi adornado com um alinhamento discreto de botões revestidos a seda num espécie de faixa que rodeava a cintura da noiva. Um formato tão elegante!! Da cintura saía uma longa cauda removível de aproximadamente 5 metros.
Victoria usou o mesmo véu e tiara que a sua mãe usou 34 anos antes no mesmo dia e na mesma Catedral. Adicionalmente usou os brincos e pulseira do Conjunto Camafeu. Se o vestido ganhou pela simplicidade, as jóias escolhidas além de primarem pela tradição, também não fizeram esquecer que era a futura Rainha da Suécia que se estava a casar. Tirando as diferenças óbvias, Victória foi a imagem da sua mãe anos antes.







Eu disse que era um bom dia para casar...

Comentários

Mensagens populares