domingo, 26 de agosto de 2012

Rasto de Tiaras, by L. - Parte 2

Domingo à tarde. Preguiça. E o filme "National Treasure" vai passar outra vez na televisão.
Acho que é apropriado continuar com a minha escolha de tiaras favoritas. Afinal também elas são para serem usados em "dias santos" ou "quando o Rei faz anos" e também elas são tesouros nacionais. A parte da preguiça não consegui encaixar. :P
Ora vamos lá para a segunda ronda.

Holanda
A Rainha Beatrix da Holanda tem uma das mais impressionantes colecções de jóias de todas as monarquias europeias. A princesa Máxima, pode orgulhar-se de ter já usado 13 tiaras diferentes (12 mais 1), ao contrário de algumas Princesas herdeiras da Europa, que apenas possuem duas ou três no máximo. Mesmo Vitória da Suécia, herdeira por nascimento, apenas usou 8 tiaras diferentes.
Peças históricas, belas e que tão bem assentam nas damas holandesas.


Tiara de Pérolas Württemberg 

As origens desta tiara majestosa não estão claramente definidas, e duas hipóteses são geralmente admitidas. A primeira sugere que foi oferecida à grã-duquesa Anna Pavlovna pelo seu irmão, o czar Alexandre I da Rússia, quando esta se casou, em 1816, com o príncipe herdeiro Willem da Holanda, mais tarde rei Willem II. A segunda, e que é mais comumente aceite, sugere que ela foi feita em 1839, em Stuttgart pelo joalheiro Kuhn e oferecida à princesa Sophie de Württemberg pelo seu pai, o rei Guilherme I de Württemberg, quando ela se casou no mesmo ano, com o príncipe herdeiro Willem da Holanda, mais tarde rei Willem III. Ainda de acordo com esta segunda hipótese, a tiara foi enviada mais tarde, em 1897, para Frankfurt pelo joalheiro Schürmann & Co., a pedido da rainha Wilhelmina da Holanda. Aí foram adicionadas pérolas e diamantes, de modo a que a sua originalidade reside no facto da peça poder ser usada de quatro maneiras diferentes, dependendo da adição ou não de algumas grandes pérolas em forma de pêra.

Quatro maneiras diferentes de usar a tiara

Rainhas Wilhelmina e Rainha Beatrix usando a Tiara


A rainha Beatrix tem usado com alguma frequência esta tiara, até porque foi esta peça que segurou o seu véu no dia do seu casamento.

Rose Cut Diamond Bandeau

Tinha muitas outras tiaras para escolher, como puderam ver, e algumas talvez mais brilhantes e principescas, mas esta simples tiara de (gigantescos) diamantes, ganha para mim.
Esta tiara foi criada para a Rainha Juliana usando para o efeito grandes diamantes que sua avó, a Rainha Emma, ​​recebeu como presente de casamento. Inicialmente, 34 dessas jóias gigantes foram colocadas num colar. 
Da esquerda para a direita: Colar e broche que a Rainha Emma recebeu como presente de Casamento; Rainha Emma usando o calor e broche como adorno no vestido e a Rainha Wilhelmina usando uma versão mais curta do colar no dia do seu casamento.

O na altura colar pode ter sido alterado para uma forma mais curta antes de ser transformado em tiara com uma moldura de platina simples. A tiara foi vista pela primeira vez na rainha Juliana, em 1937. As suas três filhas, Beatrix, Margriet, e Christina, e a princesa Máxima, mais frequentemente, já usaram esta tiara.

Princesa Máxima da Holanda


Luxemburgo
Ora aqui vou abrir um parêntesis para referir que eu não escolhi esta tiara por a achar linda.
Mas é simplesmente imponente e contraditória: como pode um país, ou um Grão-ducado para ser mais precisa, tão pequeno como o Luxemburgo possuir uma tiara tão assombrosamente grande, ultimamente usada por uma mulher tão pequena como Maria-Teresa da Casa Nassau? Eu tenho em grande consideração as tiaras das Grã-Duquesas, e está é sem dúvida A tiara de todas as tiaras de Grã-Duquesas.


Tiara de Diamantes do Império


A origem exacta desta enorme tiara de diamantes não é conhecida. No entanto, o seu estilo e sua importância sugerem que ela poderá ter sido integrada no Grão-Ducado do Luxemburgo, em 1844, quando a Grã-Duquesa Elizabeth Mikháilovna da Rússia, sobrinha da Imperatriz Elizaveta Alexeievna, casou com o príncipe Adolfo, soberano duque de Nassau e mais tarde grão-duque de Luxemburgo. 17 centímetros de altura e composta por mais de 1.400 diamantes, a tiara foi vista pela primeira vez em 1919, por ocasião do casamento de grão-duquesa Charlotte do Luxemburgo com o príncipe Félix de Bourbon e Parma. 

Grã-Duquesa Charlotte do Luxemburgo com o príncipe Félix de Bourbon e Parma. 


Dado o seu peso, a Grã-Duquesa Joséphine-Charlotte, mãe do actual Grão-Duque Henri, raramente a usava
Os Grão-Duques Joséphine Charlotte e Jean do Luxemburgo

Enquanto que a actual Grã-duquesa Maria-Teresa, já a usou algumas vezes, mas apesar de ser soberana consorte desde 2001, apenas usou a tiara após a morte da sua sogra Joséphine Charlotte em 2005.

Grã-Duquesa Maria Teresa do Luxemburgo



Tiara de Esmeraldas Chaumet


Feita pela Chaumet em estilo Art Deco, este tiara de diamantes entrou na Colecção grão-ducal quando a Grã-Duquesa Charlotte se casou em 1919 com o príncipe Félix de Bourbon e Parma. É adornada no centro  por uma grande esmeralda e por um diamante de 8 quilates. 
Penso que é uma Tiara que fica bastante bem a Maria-Teresa, além de ser uma peça bastante elegante.
Mas quero chamar a atenção para a  Tiara de Topázio ou Citrina, que M-T usou recentemente e que eu acho encantadora, mas sobre a qual não encontrei informação suficiente. Caso contrário, seria a minha número 1 para o Luxemburgo.

Grã-Duquesa Maria Teresa do Luxemburgo




Mónaco
Não existem muitas tiaras nos cofres do Mónaco. Algumas das tiaras foram apenas usadas pela Princesa Grace, e não as voltámos a ver,  após as sua morte em 1982, não se sabendo até que ponto fazem parte da colecção do Mónaco, ou se terão sido emprestadas na altura. No entanto,  para as tiaras que restam, e para as novas tiaras,  talvez venham daqui duas das minhas peças favoritas

Tiara Espuma de Diamantes da Princesa Charlene

Feita por Lorenz Baumer, esta delicada tiara feita em ouro cinzento e diamantes foi encomendada pelo príncipe Albert II de Mónaco, que o ofereceu a Charlene Wittstock, por ocasião do seu casamento em Julho de 2011. O joalheiro concebeu-o como um tributo ao amor da princesa pela água (Charlene foi nadadora olímpica) e os 11 diamantes em forma de pêra, o maior das quais pesa 8 quilates, supostamente representam ondulações de água. Os elementos da tiara são destacáveis ​​e também pode ser usado como um enfeite de ombro ou como um broche. É uma tiara bastante pouco convencional, mas da qual gosto bastante e penso que tem tudo a ver com a Princesa Charlene, talvez mais do que a Tiara e Colar Oceano da Princesa Charlene, também ela inspirada no mar, e que até à data a Princesa apenas usou como colar.

Princesa Charlene do Mónaco


Tiara de Pérolas e Diamantes da Princesa Charlotte 
Ou 
Tiara Gotas de Pérolas da Cartier

Para mim esta tiara tem absolutamente tudo de bonito com o bónus de possuir um certo ar medieval que faz com que para mim, ela seja perfeita.
Feita pela Cartier-Paris em 1949, esta tiara foi encomendada pessoalmente pela princesa Charlotte de Mónaco, que possuía as pérolas e os diamantes, provavelmente, retirados de uma jóia de família antiga. A entronização de seu filho, o príncipe Rainier III, é talvez o motivo de tal encomenda. Os nove arcos de diamante são formados por motivos de folhas e grinaldas, nos quais estão balançando pérolas em forma de gota.  
De todas as Princesas do Mónaco apenas sabemos com certezas que Caroline usou esta tiara. Existem várias fotografias da Princesa em jovem usando esta peça. Aliás nas fotografias em baixo, ela está usar duas tiaras, uma das quais como colar.

Princesa Caroline do Mónaco (e Hannover)

A fotografia em baixo deve ser uma das primeiras fotografias que me lembro de ver da Princesa Carolina e do seu marido Stefano Casiraghi, no palácio do Rochedo com o Mediterrâneo como pano de fundo. Também é uma das poucas fotografias em que a felicidade de Carolina era uma realidade inquestionável...
como a felicidade (e a tiara) lhe ficavam bem...
Caroline do Mónaco e Stefano Casiraghi

A tiara Cartier permanece guardada. Não se sabendo muito bem se pertence, actualmente,  a Carolina (agora de Hannover, pelo menos até sair o divórcio oficial) se ao seu irmão e soberano do Mónaco Albert II. Talvez nunca cheguemos a ver Charlene com estas tiaras mais convencionais. A nova primeira dama do Mónaco parece gostar de coisas mais arrojadas.


E ficamos hoje por aqui, deixando algumas das tiaras mais bonitas e famosas para o fim.
Em Rastos de Tiaras, by L. - Parte 3.

Boa semana!

---***---
Agradecimentos: Todas as minhas publicações sobre jóias reais devem muita informação a páginas como Royal Jewels Fan Club (Facebook) e ao supermaster blog The Royal Order of Sartorial Splendor. Sem eles, eu seria uma pessoa muito menos culta.

Sem comentários:

Enviar um comentário